Home | Glossário | Fale conosco  

  

Umidade e Precipitações Atmosféricas

 

As águas oceânicas e da superfície continental, graças à temperatura e aos ventos, evaporam-se e ganham altitude num movimento ascendente. Esse vapor d’água do ar constitui a umidade atmosférica, que pode ser absoluta ou relativa.

 

A umidade absoluta é a quantidade de vapor d’água existente numa porção de atmosfera num determinado momento. É medida em gramas pelo higrômetro.

Existe também o ponto de saturação, que é a quantidade de vapor d’água suportável por essa mesma porção de atmosfera.

 

A umidade relativa do ar é a relação percentual entre a umidade absoluta e o ponto de saturação. É obtida em percentagem (%) através de um aparelho chamado psicrômetro.

 

O ponto de saturação e umidade absoluta dependem da temperatura atmosférica e, por essa razão, geralmente são maiores nas regiões quentes e menores nas regiões frias.

 

Devido ao fato de nas altas altitudes reinarem baixas temperaturas, o vapor d’água se condensa, formando nuvens.

Os principais tipos de nuvens são:

  • cirros: são as mais altas, ralas, raras e brancas. Não provocam chuvas;

  • cúmulos: aparecem em altitudes superiores a 2 000 metros e lembram flocos de algodão;

  • estratos: aparecem no crepúsculo, entre 500 e 1 000 metros de altitude, em forma de filamentos paralelos;

  • nimbos: são as mais baixas e escuras. Provocam mais chuvas imediatas.

SERÁ QUE VAI CHOVER?

 

A água existente na atmosfera volta à superfície da Terra através das precipitações atmosféricas na forma de:

  • neve: precipitação de cristais de gelo em forma de flocos, comum nas zonas temperadas e frias, durante o inverno;

  • orvalho: precipitação de gotículas de água líquida que ocorre em noites limpas e frias, conhecidas como sereno;

  • granizo: precipitação de pedras de gelo em meio a chuvas fortes (chuvas de pedra);

  • chuva: precipitação de água líquida.

A geada não é uma precipitação, pois resulta de orvalho congelado já na superfície. Por essa razão é errado dizer que caiu geada em algum lugar. O correto é falar: geou ou teve geada em algum lugar.

A chuva é, no entanto, a precipitação atmosférica mais geral e importante. A quantidade de chuvas caídas numa região, durante um ano, é medida em milímetros (mm) pelo pluviômetro e constitui o índice pluviométrico.

A simples observação do índice pluviométrico de uma região não é suficiente para se determinar com exatidão a umidade do seu clima. É necessário conhecer o regime pluviométrico, isto é, a distribuição das chuvas durante o ano. Os principais regimes pluviométricos são:

  • equatorial: chuvas o ano inteiro;

  • tropical: chuvas no verão e estiagem no inverno;

  • monções: apresenta chuvas no verão e estiagem no inverno, como conseqüência dos ventos monções;

  • mediterrâneo: chuvas no inverno e estiagem no verão;

  • desértico: a estiagem predomina o ano inteiro, com secas acentuadas e chuvas bastante esporádicas e irregulares, resultando um baixo índice pluviométrico;

  • latitudes médias e altas: chuvas regulares e bem distribuídas durante o ano.

 

Resumindo

  • A atmosfera está dividida em várias camadas, sendo a troposfera a mais importante.

  • O aquecimento do ar atmosférico se dá pela irradiação do calor absorvido pela superfície.

  • A Terra está dividida em cinco zonas térmicas.

  • A temperatura varia de acordo com a latitude e com a altitude.

  • Em baixas latitudes, próximo ao equador, as temperaturas são elevadas; nas altas latitudes, isto é, nas regiões polares, as temperaturas são baixas.

  • Em altas altitudes, picos montanhosos permanecem eternamente cobertos de gelo.

  • A pressão atmosféricas varia de acordo com a temperatura e a altitude.

  • O vento é causado por diferenças de pressão entre duas regiões.

  • O anemômetro é usado para medir a velocidade do vento. O anemoscópio, ou biruta, indica a direção e o sentido do vento.

  • Os alísios são ventos constantes que convergem para o equador.

  • As brisas sopram do continente para o oceano (à noite) e do oceano para o continente (durante o dia).

  • As monções são ventos periódicos, típicos da Ásia Meridional.

  • Umidade relativa é a relação percentual entre a umidade absoluta e o ponto de saturação.

  • Chuva, granizo, neve e orvalho são precipitações atmosféricas.

  • Cirros, cúmulos, estratos e nimbos são tipos de nuvens.

  • Índice pluviométrico é a quantidade de chuvas caídas numa região.

  • Regime pluviométrico é a distribuição das chuvas durante o ano numa região.

Disponível em: www.frigoletto.com.br

 

 ot14.gif (148 bytes) Menu Geo Física

Frigoletto.com.br - A geografia em primeiro lugar

Copyright © 2000 - 2004 Eduardo Frigoletto de Menezes. All Rights Reserved